informe o texto

Notícias Geral

Mato Grosso tem queda de 34% no número de casamentos civis

O número de casamentos em Mato Grosso teve uma redução de 34% do ano de 2019 para 2020, quando  começou a pandemia no novo coronavírus, o que restringiu a realização de eventos. Foram registrados 19.685 em 2019 e 12.815 em 2020.
 
Os dados são do informativo de Estatísticas do Registro Civil do O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nos casamentos civis e união de ambos os cônjuges femininos houve 22 registros em 2020 e de ambos os cônjuges masculinos ocorreram 45, ao longo do ano.

Em 2019, foram 30 casos de casamento e união de ambos os cônjuges femininos em Mato Grosso. Já com relação a parceiros de ambos os cônjuges masculinos, em 2019 foram 31.

Taxa de nupcialidade

Ainda conforme os dados do IBGE, a taxa de nupcialidade legal fornece uma dimensão do número de registros de casamentos em relação à população em idade de casar, ou seja, 15 anos ou mais de idade, permitindo a comparação entre as Unidades da Federação.

No Brasil, para cada 1000 habitantes em idade de casar, 4,5 pessoas em média, se uniram por meio do casamento legal em 2020. Na 10ª posição, Mato Grosso registrou taxa de nupcialidade de 4,8 pessoas, pouco acima da média Brasil.

Nascimento

Em 2020, Mato Grosso registrou 55.289 nascidos vivos, ocorridos no ano, segundo o lugar de residência da mãe, sendo 28.439 bebês do sexo masculino e 26.848 do sexo feminino. Na comparação com o ano anterior, observou-se para o estado uma redução de 4,49% (-2.599) registros de nascimentos ocorridos no ano.

Em Cuiabá, segundo o Registro Civil, foram 9540 nascidos vivos, ocorridos no ano, segundo o lugar de residência da mãe, sendo 4938 bebês do sexo masculino registrados e 4602 nascimentos de bebês do sexo feminino. Em 2019 os registros apontaram 10310 nascidos vivos na capital, segundo o lugar de residência da mãe.

As maiores razões de sexos entre recém-nascidos foram observadas nos Estados do Acre e de Roraima com 107 meninos para cada 100 meninas, seguidos pelos Estados de Sergipe, Paraná e Mato Grosso com uma relação de 106 meninos para 100 meninas.
 
Fonte: Olhar Direto
 
Sitevip Internet